Projeto Jogatina Podcast 03: Pirataria

Neste episódio, FrankCastle e Homer discutem um assunto que está em voga e fez ou faz parte da vida da maioria dos gamers: Pirataria. Falaremos sobre nosso passado gamer, se usamos ou não da pirataria, os prós e contras, alternativas, mercado, entre outros. Ouça e confira!

Para ouvir agora:

Para baixar a MP3:

Para assinar no Itunes:

Não sabe o que é “assinar podcast”? Clique AQUI!

OBS: Como o Mevio (serviço de hospedagem e feed do podcast) suspendeu seus serviços, estaremos utilizando outras alternativas gratuitas. Sendo assim, pode ser que o feed não contenha todos episódios ou que mude depois de um tempo, mas nós manteremos vocês informados.

Links comentados:

Pirataria Moderna (Wikipédia)
Uma Análise sobre Pirataria nos Games – Lembrando que o texto é de 2009 (mais de 2 anos) e de lá para cá muita coisa mudou.

Caso queira enviar alguma crítica, elogio, dúvida, sugestão ou reportar algum erro, envie um e-mail:

projetojogatina@gmail.com

Nos acompanhe também no:


2 pensamentos sobre “Projeto Jogatina Podcast 03: Pirataria

  1. Rômulo disse:

    Caras, gostei bastante dos comentários de vcs sobre pirataria, e fiquei comovido com a perca do gameboy do Homer. Mas achei que vcs poderiam ter ressaltado como a pirataria criou a necessidade de um mercado de games no Brasil, afinal, sem ela o consumidor brasileiro durante toda decada de 90 e inicio dos anos 2000, com oa baixos salarios que haviam, jamais conseguia adquirir produtos originais.
    E a outra coisa, é que apesar de vcs terem comentado, acho que deveriam ter falado mais da importancia de que se for comprar produtos originais. De comprar no seu pais, e em lojas oficiais com produtos licenciados. Pois de nada adianta comprar do chinês na paulista (eu faço isso, confesso), pois ele importou o jogo de fora, provavelmente de forma ilegal, sem pagar imposto por utilização do produto para comercio.
    Claro que ñ concordo em Mass Effect 2 ainda estar sendo vendido a 200 dilmas aqui em lojas como submarino, etc. (Esse vou importar ou comprar usado). Mas tentarei adquirir mais jogos pela lojas do nosso proprio pais.

    Abraços.

  2. FrankCastle disse:

    Valeu pelo comentário, Rômulo!😉

    Realmente, poderíamos ter abordado esse fator da pirataria no Brasil, acabamos citando brevemente apenas, como quando falei que alguns jogos só joguei por causa da pirataria. Realmente, quando montei a pauta, não pensei nisso.😄

    Quanto a este segundo ponto que você apontou, apesar de achar ele importante, acho que ele vem em segundo lugar (na minha visão). Acho que o primeiro passo é a conscientização de comprar original, mesmo sendo importado no mercado cinza. Pois, ainda que não ajude o mercado brasileiro, pelo menos garante os “royalties” dos desenvolvedores do games, algo que o produto pirata não traz.

    Posso estar errado, mas acho que é isso, um passo de cada vez, infelizmente para a maioria das pessoas não dá para mudar da água para o vinho do dia para a noite. Um grande abraço!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s