[Review] MRC6-454 (PC)


Se você acompanha o blog ou nosso Twitter, deve ter notado que estou bem empolgado com um jogo brasileiro que será lançado nesta Sexta-Feira (22/06/2012), se trata de Oniken. Inclusive você pode conferir nosso preview dele, clicando aqui. Porém a Joymasher (desenvolvedora do jogo) fez uma grande surpresa e anunciou hoje um jogo bem curto, porém inteiramente grátis. Seu nome é MRC6-454 e você confere o review dele logo abaixo. Continuar lendo

Anúncios

[Review] Max Payne (PC)

Hoje, todas atenções estão voltadas para Max Payne 3, mas muita gente ainda não jogou os 2 primeiros jogos e outros, como eu, só os jogaram na época do lançamento. Resolvi então, jogá-los novamente antes de encarar o terceiro jogo da franquia. Embarque neste “trem iluminado como uma árvore de Natal”, seja para relembrar ou para conhecer mais sobre Max Payne 1. Continuar lendo

[Preview] Oniken e um bate papo com Danilo Dias

Recebi hoje, uma ótima notícia de meu amigo Diego Rodrigues: Oniken já está em pré-venda e será lançado em 22/06/2012! Mas o que é Oniken? Se trata de um jogo de plataforma com visual 8 bits, desenvolvido por Danilo Dias e colaboração de Pedro Paiva. Saiba mais em nosso post, contamos também com um pequeno bate papo com o criador do jogo. Continuar lendo

[Review] Journey

Bom pra começar este review eu queria falar que Journey não é um jogo, mas sim uma experiência única que só o mundo interativo dos vídeo games pode trazer, pois ele conseguiu fazer emergir sentimentos e sensações que poucos jogos conseguiram em mim. Ele é muito diferente dos títulos que estão em alta no momento. Não adianta eu tentar falar aqui o que é o Journey, pois ele é algo que tem que ser experimentado e vivido, e pelo que eu vejo por ai cada pessoa tem uma experiência muito diferente com ele. Mas vamos tentar falar sobre alguns aspectos do jogo.

Continuar lendo

Produção de Jogos: agora é você quem dá o pontapé inicial!

Você está cansado de jogos feitos APENAS visando lucro, que colocam em segundo plano a originalidade, criatividade, parte artística? Pois é, amigo, por mais que seja uma triste realidade é assim que as coisas funcionam atualmente: grandes distribuidoras comprando estúdios e ditando as regras. Daí vemos coisas como: Multiplayer em Mass Effect 3, saturação em certas temáticas ou perspectivas de gameplay, DLCs de conteúdos que já deveriam vir junto com o jogo, entre outros. Mas ainda há esperança para quem quer ver jogos mais artísticos ou de nicho, a maior parte dela está, com certeza, nos Indie Games (Jogos Independentes). Porém, nem sempre os desenvolvedores tem grana para tocar o projeto. E aí como fica para quem quer fazer um jogo com qualidade, mas sem apoio das grandes corporações? É sobre isto que falarei neste post!

Continuar lendo